terça-feira, 17 de novembro de 2009

Em tempos de refúgio

Enfim... Sinto-me frustrado. Todos os dias sentado em casa, aborrecido, sem nada para fazer. Não tenho escola para ter aulas, não tenho trabalho (ainda) para ir trabalhar, não tenho horas para adormecer e tira-me toda a energia acordar tarde. O que é de mim, o que faço eu aqui? Queria perseguir um sonho outra vez, foi adiado, quero viver uma vida mas aqui me encontro, sem energia ou motivação para o fazer. Quero fazer longas caminhadas e sentir a chuva a bater-me na cara. Tenho sempre algo em que pensar, estou constantemente a imaginar outras situações, outros locais, outras pessoas (mas tu és indispensável!). Quero dizer-te tudo o que tenho a dizer e livrar-me deste sentimento, desta desgraça, certamente uma maldição, mas quando penso que te posso ver só me apetece fugir porque não tenho a coragem de te dizer o que me vai no coração. Não me consigo corrigir e penso sempre que falhei. Tento não culpar nem julgar, ser melhor pessoa do que o espelho me diz mas... só me encontro a lamentar.

Em tempos de refúgio...

2 comentários:

Kath disse...

Diz, pá.

Raquel disse...

oh, que triste mas está tão bonito (: