quinta-feira, 22 de março de 2012

For a maiden's heart

A maiden lost in not only heart but mind,
A maiden that something has lost and that something needs to find.

Truth be written here,
Thou doth has eyes to see and ears to ear,
Ear thus my humble plea and read this story,
Of this fair maiden whose heart came torn
And whose soul would be sworn to be worn
Until it became a pale ghost.

As Winter came nigh
And day became night,
Thus the maiden mindlessly roamed the woods,
Following her shadow through trees and roots,
Smiling innocently as the moon shone over her
And the air became damp and darkness heavier.

Shadow follows shadow and merges
Out of the darkness a figure surges,
Whispers it words that only the wind can ear
Giving the maiden a chill no one wants to feel,
Walking slowly as hand reaches for hair
That runs away from his grasp, as desperate as fair.

The clouds slowly cover the moon
And the wolves howl by the moor,
Their souls brave and their fears bind and stale,
Towards the maiden they run to save her from bane,
Moving with haste in her direction
Commanded by a mind that thinks only of her salvation.

A forest pitch black is now stained with the colour of life,
All that in darkness dwells has seen failed all of its strife.
Came with the winds, the wolves and snakes bite the figures limbs
And the maiden's heart calms and her revolving mind finally stills.
Back to shadows the figure goes, forming pools of blood in its goodbye,
At last all is calm and the maiden sighs, a low note starts a cry, the maiden heart's shy.

A maiden lost in the woods accompanied by wolves and snakes, her heart's still,
A man's mind at ease for all that was lost has been found, finally his heart can be revealed.

3 comentários:

Lizzie (Liliana Fernandes) disse...

Escreves tão bem que me arrepias, até já te pus na minha top list do meu blog!

sónia fernandes disse...

Ora bem!
Confesso que tive de traduzir o poema, o inglês está elaborado!

Inicialmente pensei que estava confuso, provavelmente porque não estava a perceber o inglês.

Há ainda uma parte que me faz uma pequena confusão, é a seguinte: "Their souls brave and their fears bind and stale," O que é bind? e porque stale/ obsolentos ou velhos? não acho que que faça sentido.

E, também, para mim esta parte está confusa. A conclusão:"A maiden lost in the woods accompanied by wolves and snakes, her heart's still,
A man's mind at ease for all that was lost has been found, finally his heart can be revealed."

Não sei se percebi, então a donzela conserva o seu coração,
De onde vens o homem. porque a figura das sombras foi "derrotada", ela mantei a sua essencia... mas agora aparece uma figura masculina.
E no inicio o poema descreve que a figura feminina perdeu coração e a mente, e agora no final a figura masculina é que regista o reencontra do que foi perdido, para que ele possa revelar-se?

Para mim, parece-me um final muito precipitado.
o que achas?

ah tens escrito threes, é trees?

Atenciosamente
Seguidora do blogue,EU
Sónia Fernandes, espero resposta

Bruno Carvalho disse...

Bem, Sónia, espero sinceramente que não tenhas utilizado o tradutor do google. Nunca é muito certeiro.

Bind é preso[s]. Stale é parados, encravados, também pode ser velhos. Já faz sentido agora?

A conclusão diz que a rapariga está perdida na floresta, acompanhada das serpentes e dos lobos que a salvaram da figura e que já se acalmou do susto. Depois diz que o homem está calma porque tudo o que perdeu foi encontrado, ele finalmente pode revelar os seus verdadeiros sentimentos. Isto é uma analogia para como alguém pode estar perdido na vida, sem rumo e como palavras ou qualquer outra coisa pode servir de consolo. A partir final é o homem a revelar os seus sentimentos, basicamente a declarar-se a dama.

Não sei onde é que viste a donzela a perder o coração mas sempre o teve. O título traduzido significa "Pelo coração de uma donzela". A figura das sombras podem ser vistos como problemas do passado que ainda existem na consciência das pessoas. É derrotada pelos lobos e serpentes que podem ser palavras ou qualquer outra coisa que ajude uma pessoa a passar uma má fase.

O início do poema é uma introdução à situação que a donzela se encontra, no meio da floresta e atacada pela figura das sombras. O homem ajuda-a ao pedir às forças da Natureza, lobos e serpentes, que a ajudem.

Não acho o final precipitado. E já reparei no erro, a Carla também já me tinha avisado, obrigado.