quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007

Palavras mal pronunciadas...

Quantas vezes podemos nós olhar para o céu à noite, na cidade, apenas para dizer que amamos sem sermos julgados pelos desconhecidos que por ali passam e que pensam e, se não pensam, falam julgando-nos apenas por não sermos aquilo que a sociedade deseja de nós e por não termos os mesmos desejos e vontades que este mundo nos impõe? Quantas vezes podemos nós falar sem desconfiança a um estranho na rua e perguntar-lhe como está? Quanto tempo teremos nós de esperar até perceber que "conhecer" é apenas um formalidade e que a realidade em si é que todos nós somos desconhecidos a nós próprios?
Se penso e existo ao mesmo tempo conseguirei ainda reconhecer que a verdade está escondida na sombra e a única coisa que a oculta é a nossa sede pelo que está errado mas moralmente correcto para a sociedade? Conseguirei eu reconhecer-te daqui a 10 anos ao passar por ti na rua? Voltarei atrás na minha memória àquela tarde inesquecível que passei contigo apenas para te poder dizer mais uma vez que te amei a partir daí. Reconheço agora que disse palavras precipitadas causadas apenas pelo amor que tenho por ti e que é agora demasiado tarde para as retirar ou modificar de forma a que não te assustasses e te afastasses gradualmente de mim. Porque as saudades não perdoam a dor e o vazio que sinto dentro de mim pelo tempo passado afastado de ti.
Erro meu mais uma vez por te ter deixado ir pois essa era a tua vontade. Verdade minha e tua que apenas naquelas escassas horas estivemos em sintonia e que conseguimos estabelecer uma ligação mais forte que o mundo em si, mais forte que a gravidade que nos puxa para o centro da terra até nos esmagar aos mil pedaços, mais forte que o calor que o Sol traz à Terra apesar de estarmos muito afastados. Mais forte que isto existe apenas a mágoa que se consegue ver nos meus olhos, agora pretos e vazios pela nossa escassez do teu contacto.
Da luz do teu corpo à escuridão da minha mente sinto que a nossa ligação está lentamente a esvaecer. Se o meu corpo rejeita a tua mente porque estará a minha mente a dizer que quer o teu corpo? Se a minha alma deseja pela tua porque estará a minha mente a perguntar se a tua alma quer a minha? Perguntas às quais apenas o tempo pode responder e com muito sofrimento e luta esse tempo passará indo ao seu lento ritmo deixando as suas marcas em mim.

2 comentários:

Antonio P. disse...

A Palavra Amor não poderá ser mal pronunciada. Jamais em tempo algum. Pode no entanto ser dita sem ser sentida! E quem sente essa Palavra, esse Amor em si, sente muitas mais Palavras que vêm por bem ou por mal. Que as tuas Palavras venham por bem e q soem tão bem e melhor como as que escreveste ;)

Rising Demon disse...

Dude muitas vezes é mal pronunciada no sentido de ser para enganar uma pessoa de forma a enganá-la/influenciá-la. É esse tipo de "amor" que estou a falar aqui no texto. E não me venhas com tretas religiosas que eu detesto isso.